quinta-feira, 27 de março de 2008

Estalo

Minha paciência tem limite!
Assim como a abertura
Das minhas pernas.

A generosidade,
Antes farta como meus peitos,
Minguou.

Depois da noite ridícula,
Mais uma madrugada
Ouvindo o portão da sua casa
Estalar
Comigo para o lado de fora.

Antes de me ligar outra vez
Passe na minha terapeuta.
Tome jeito – ou Viagra –,
Vare a madrugada
Treinando punhetas.

Porque voltar para casa
A pé
E com a buceta seca
Não é para mim.

É para as fraquinhas!

4 comentários:

Anônimo disse...

O sujeito errou de porta.
"Começa esta doença com delírio melancólico, cuja causa reside no vício do útero: ao progredir, degenera-se num delírio maníaco, que se inicia com o distúrbio do cérebro. Quando esses dois acidentes se juntam, causam a doença que denominamos Ninfomania"
As palavras do médico terapeuta Dr. D.T. Bienville deixaram-no tranquilo... aliviado sem punheta.

Paulo Pessoa disse...

Percebi que não achou um bom.
Sugestão: Parte prá outro!

Paulo Pessoa disse...

Esperando por mais textos!!!

Quietinha disse...

hahaha isso direta franco vivedora. amei linkei (se nao gostar avisa)